sábado, 8 de novembro de 2014

Nebulosidades auditivas (21)

Há uns meses, houve uma conversa sobre a pseudo-teoria de "humanos reptilianos", que David Icke costumava mencionar, e a que o Paulo Cruz dava atenção, ligado ao assunto dos crânios de Paracas.
Nessa altura disse:
Lembro-me de uma série antiga, dos anos 80, que tinha exactamente um enredo a esse agrado:
V - Visitors (TV series, 1983) 
talvez David Icke tenha ido buscar a ideia reptiliana a essa velha série... de qualquer forma, esse V fez-me logo lembrar outro V:
Eu ligaria o V mais ao facto de ter depois um outro filme que ficou igualmente popular:
V for Vendetta
banda desenhada exactamente da mesma altura (vejam-se lá as coincidências) e especialmente o filme que deu origem à mania das máscaras, e ao movimento "Anonymous".
Ver este vídeo do Nicky Romero, "Toulouse":
... já esteve na calha para uma "nebulosidade auditiva" no OdeMaia. 
[17 Julho 2014]
Assim, por estranho que fosse, num ápice, dos crânios deformados chegávamos a Toulouse.
Leio agora que a deformação intencional craniana era denominada "deformação de Toulouse"
 
Mapa com a deformação de Toulouse, e regiões onde era praticada ainda no Séc. XX (ver Dingwell, 1931)
 In the region of Toulouse (France), these cranial deformations persisted sporadically up until the early twentieth century  [wikipedia]

Coincidências, ou não, antecipei que o vídeo "Toulose" estava agendado aqui:

"Toulouse" de Nicky Romero, 

mas por razão do V de Vendetta... e não tanto pela deformação craniana de Toulouse.

Esta ligação que nos levou à região occitana de Toulouse é estranha, tão estranha quanto é o registo que foi das suas pinturas rupestres aos jogos florais, passando pelos antipapas de Avinhão.

Quanto ao V, V de um filme que tem inspirado movimento Anonymous, parece ser apenas mais um movimento do sistema, que passa por ser anti-sistema. Não é difícil entender que não serão os canais do sistema a questionar o sistema. Qualquer sistema minimamente inteligente disfarça uma oposição, para que nunca haja espaço para uma verdadeira oposição.
Porque, o problema é simples... The revolution will not be televised, brother.

Sem comentários:

Publicar um comentário